www.ba001.com.br

Nas últimas semanas, uma série de asteroides de médio a grande porte
passaram pela órbita da Terra. O maior deles está a caminho de fazer sua
abordagem mais próxima do planeta no próximo sábado (13). Isso seria
motivo para pânico?

De acordo com o professor de astronomia e presidente da Universidade
de Illinois Urbana-Champaign, Leslie Looney, o asteroide 2004 UE, um
exemplo do que os astrônomos chamam de NEO (sigla em inglês para
Objetos Próximos da Terra), chegará a uma distância do nosso planeta
equivalente a mais de 30 vezes a distância Terra-Lua. Então, não. Não há
com o que se preocupar.

Para o professor de astronomia Leslie Looney, o asteroide 2004 UE não é
considerado uma preocupação de segurança. Imagem: L. Brian Stauffer
Tamanho de asteroide chama atenção

Segundo Looney, “qualquer coisa acima de 140 metros de diâmetro pode
causar grandes danos às cidades ou costas”, então, qualquer NEO maior
do que essa medida, com órbitas que cruzem a órbita da Terra, é
classificado como um objeto potencialmente perigoso (PHO, na sigla em
inglês).

Portanto, o que poderia causar preocupação em relação ao asteroide
2004 UE é o fato de estar dentro dessa margem. “Ele tem cerca de 160
metros de diâmetro — a maioria é menor, mas muitos são maiores”,
esclarece Looney.

De qualquer forma, é interessante perceber como, nos últimos tempos,
muito se tem ouvido falar sobre asteroides, meteoroides ou cometas
próximos à Terra.

Leia mais:

Nos últimos 20 anos, a Nasa aumentou significativamente o número de
NEOs conhecidos — de menos de mil para quase 28 mil. Isso aconteceu,
segundo Looney, basicamente por dois motivos. Primeiro, os avanços
tecnológicos que permitiram estudar e medir com mais precisão esses
corpos.

E, em segundo lugar, porque aqueles objetos estimados pela Nasa em
140 metros ou mais ao longo de seu eixo mais longo foram ordenados
pelo Congresso para serem classificados como NEOSs. “O aumento no
número de objetos classificados como NEOs deveu-se em parte a este
mandato”, disse Looney.

Nenhum asteroide vai colidir com a Terra. Por enquanto…

Conforme o site Phys, existem cerca de 2 mil PHOs conhecidos
atualmente, segundo as observações da Nasa. “Nenhum deles deve
impactar o planeta nos próximos 100 anos, mas ainda observamos suas
órbitas para quaisquer mudanças”, explica Looney.

Ele diz que os caminhos orbitais dos NEOs que estarão próximos à Terra
em mais de 100 anos ainda não podem ser previstos muito bem. “No
entanto, é importante observar que grandes impactos já atingiram a Terra
no passado — pergunte a qualquer dinossauro que encontrar — e o planeta
será atingido por grandes impactos no futuro. Não é uma questão de se,
mas de quando. Mas, não entre em pânico. Não é provável que aconteça
em breve”.

Fonte : Central de notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.