Banco Central anunciou novas medidas de segurança que determinam o uso do Pix. Saiba quais.

O Pix se tornou uma das formas de pagamentos e demais movimentações financeiras mais utilizadas no país. Com um ano de existência, os brasileiros têm utilizado cada vez mais o sistema de pagamento instantâneo. Os dados mostram que são mais de 350 milhões de chaves Pix cadastradas com cerca de 334 milhões de Pessoas Físicas.

Esses números demonstram a força que o Pix vem tendo na vida financeira do país. Todavia, surgiram problemas de segurança. Algumas medidas já haviam sido tomadas para evitar os problemas que vieram junto com a utilização do sistema de pagamento instantâneo. Entre eles, estão sequestros relâmpagos, fraudes, etc.

Nesta terça-feira (16/11), o Banco Central anunciou novas medidas de segurança que determinam o uso do Pix. As medidas anunciadas pelo Banco Central são as seguintes:

  • Bloqueio Cautelar;
  • Notificação de infração;
  • Ampliação do uso de informações para fins de prevenção à fraude;
  • Mecanismos adicionais para proteção de dados;
  • Devolução de valores em caso de fraude ou falha.

Em linhas gerais, o BC determina medidas que devem ser observadas pelas instituições bancárias e pelo usuário do Pix. Assim, consegue proporcionar mais segurança no sistema de pagamento e demais ações através do Pix.

Desde o mês de outubro, o limite de transferências noturnas através do Pix já foi reduzido, ficando estabelecido em R$ 1 mil nos horários de 20h às 6h. Caso o cliente queira alterar e ampliar o valor, deverá entrar em contato com seu banco para efetuar a solicitação e a instituição deverá realizar a autorização dentro do prazo mínimo de 24h.

Nesse contexto, os bancos devem oferecer ao cliente a opção de contas que podem receber valores maiores dentro deste prazo. Veja qual o significado prático de cada uma das novas medidas determinadas pelo BC.

Bloqueio cautelar

Autoriza a instituição bancária do cliente usuário do Pix a proceder com bloqueio preventivo de uma operação por até 72h em caso de suspeita de alguma fraude.

Quando o bloqueio cautelar é acionado, o cliente deverá ser imediatamente informado da ação.

Notificação de Infração

Até então, a notificação de infração era facultativa, onde os bancos podem realizar uma marcação na chave Pix ou no CPF/CNPJ de determinado usuário sempre que ocorrer uma suspeita forte de fraude.

Uso de informações para fins de prevenção à fraude

É um recurso em desenvolvimento, que permite trazer informações sobre a chave Pix e possíveis marcações de fraudes. Isso promoverá uma segurança maior para o usuário. Desse modo, os dados que notificam fraudes poderão estar disponíveis para todos os usuários do sistema.

De posse dessas informações, os usuários do Pix podem utilizá-las em seus processos, até mesmo na abertura de contas.

Mecanismos adicionais para proteção de dados

Todos os mecanismos utilizados pelos bancos para garantir a segurança no uso do Pix devem ser pelo menos iguais aos adotados pelo Banco Central.

Devolução de valores em caso de fraude ou falha

A instituição responsável pela chave Pix do recebedor poderá efetuar a devolução de valores quando ocorrer fraudes ou falhas.

Isso ajudará a diminuir os casos de uma determinada chave que apresentou falha por conta do sistema do banco operador.

Fonte – Tudo Bahia

COMPARTILHAR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com