O processo natural de envelhecimento dos nossos olhos leva à condição chamada de presbiopia, ou “vista cansada”. A causa está no cristalino — lente interna, localizada entre a íris e o vítreo —, que perde a elasticidade e o poder de acomodação, com o passar do tempo. Com isso, os músculos ciliares, responsáveis por focalizar as imagens de perto, com nitidez, passam a não cumprir tão bem a função. As informações são da Agência Einstein.

Os sintomas do problema podem incluir dificuldade em ler letras pequenas ou focar em objetos próximos; necessidade de uma iluminação mais forte durante a leitura; fadiga ocular; visão desfocada; e dor de cabeça.

Os sinais são mais comuns a partir dos 40 anos, mas podem vir antes, ou mesmo depois. Segundo Marcus Safady, membro do conselho da Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO), há evidências que sugerem que a exposição à luz ultravioleta ocasionaria um envelhecimento precoce do cristalino.

— A média de idade em países perto da Linha do Equador, onde há incidência máxima de ultravioleta na Terra, pode chegar a 38 anos. Fora dos trópicos, o início (da presbiopia) é perto dos 48 ou até 50 anos. Provavelmente, o fator que determina esse aparecimento mais precoce é o ultravioleta”, explica. No Brasil, a idade média para o surgimento da condição é aos 43 anos.

Safady acrescenta que medicamentos da classe dos ansiolíticos, antidepressivos e anti-histamínicos também podem causar problemas de acomodação precoce do cristalino, por volta dos 30 anos?

— É frequente encontrar pacientes fora da faixa etária de início da presbiopia pelo uso dessas drogas.

Uso de óculos ou lentes multifocais

Ainda de acordo com Marcus Safady, a presbiopia não tem cura, mas há como corrigir. A medida mais frequente é o uso de óculos ou da lente de contato multifocal. Procedimentos cirúrgicos e medicamentos não são indicados por falta de evidências científicas.

— A cirurgia existe de maneira experimental, com resultados bastante limitados — afirma o oftalmologista:

— Alguns medicamentos mexem com a profundidade de foco e outros tentam melhorar a flexibilidade do cristalino. Mas são estudos. Nenhum deles se mostrou eficaz o suficiente para adotar no dia a dia.

Presbiopia não é hipermetropia

Tanto a presbiopia como a hipermetropia têm como característica a dificuldade de enxergar objetos de perto. Porém, elas se diferenciam pela causa. Enquanto a primeira surge pela perda de acomodação do cristalino com o avanço da idade, a segunda é um problema de visão relacionado à forma do globo ocular — o que faz com que a imagem seja focada atrás da retina.

Fonte : extra.globo

COMPARTILHAR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *